É hora de seguir as tendências de mercado

Como sempre, com um novo ano, surgem novas tendências no mundo do varejo e do comércio eletrônico.

Nos últimos meses, com a pandemia, fomos bombardeados com novas tecnologias, novas formas de trabalhar, de atender o cliente, de otimizar o trabalho. Mas vamos lá.

São amplos os projetos de automação, de transformação digital e inovação no varejo para 2021. Os varejistas lidam com alta competição, pressão de preços, um consumidor altamente conectado e com grandes expectativas. 

A inovação no varejo está ocorrendo em várias frentes e com diferentes ferramentas e tecnologias. No entanto, é importante notar que inovação não significa necessariamente criar algo novo.

E o que é inovar no varejo?

Inovar é sobre resolver problemas reais. Inovar pode significar fazer menos, ou reduzir custos, otimizar, ou melhorar a experiência do seu cliente no seu mercado ou loja.

O varejista/comerciante não precisa ir longe, não precisa contar com a tecnologia mais atual e cara para inovar, na maioria das vezes, a inovação está muito mais próxima do que ele imagina. Sabemos que para o pequeno empreendedor, investir em altas tecnologias não é viável, seja pelos custos altos, seja pela mão de obra mais especializada e cara, então a ideia é ser criativo e usar da melhor forma possível aquilo que está à mão.

Para isso, é importante que se faça as perguntas certas sobre o seu negócio para entender que tipo de tecnologia você pode e deve usar. Por exemplo:

  • Comece com as inovações que são necessárias para permanecer relevante para seu cliente, lucrativo e bom para os negócios;
  • Em seguida (ou ao mesmo tempo), olhe para as inovações de varejo onde pequenas coisas provam fazer uma grande diferença;
  • Mantenha a experiência de compra e a experiência geral do cliente em mente, pois é aí que a diferença pode ser feita;

Agora a ACB vai explicar aqui, quais são as novas tendências no mundo do varejo e do comércio eletrônico.

Tendência nº 1: entrega no mesmo dia (ou o mais rápido possível)

Parece que as expectativas do cliente em relação ao tempo de envio estão ficando cada vez mais rápidas. Primeiro veio 2 dias com a ascensão do Amazon Prime, depois no dia seguinte e no mesmo dia. E as grandes lojas estão seguindo os passos da Amazon.

Ok, estamos falando aqui de gigantes do mercado, porém o micro empreendedor tem que estar atento ao que acontece com o grande varejo e tentar implementar essas ideias da melhor forma possível em seu negócio.

Tendência nº 2: marketing de influência

O marketing de influenciadores costumava envolver selfies, legendas cuidadosamente construídas e fotos de produtos altamente editadas. Mas em 2020, vimos uma grande mudança na forma como marcas e influenciadores trabalham juntos, não é verdade?

O conteúdo do influenciador mudou lentamente para uma estética real e crua, e essa mudança continuará em 2021. Porque?

Comprar não é mais apenas sobre os produtos, é sobre a experiência. Os consumidores desejam experiências ininterruptas que se estendam perfeitamente por todos os canais. Eles esperam facilidade, serviço e personalização. Em conclusão, neste cenário, não é mais o comprador que deve se precaver, é o vendedor. 

Tendência nº 3: migração acelerada para o digital

A pesquisa Perfil do E-commerce Brasileiro revelou que o e-commerce bateu um recorde em 2020: são mais de 1,3 milhão de lojas – grande parte delas de pequeno porte, com faturamento de até R$ 250 mil por ano. Ou seja, essa migração – em ritmo acelerado – foi uma das marcas do varejo em 2020.

Tendência nº 4: Crescimento de aplicativos de delivery

Talvez o efeito mais óbvio em 2020 tenha sido o aumento das compras por aplicativos de delivery. Mais de 70% dos consumidores começaram a usar ou aumentaram o uso de apps de entrega durante a pandemia, principalmente por terem o que precisam sem precisar sair de casa.

Em suma, essas são as principais tendências do varejo digital. Não podemos nos acomodar e nem fechar os olhos para o que está por vir. A concorrência está mais alta que nunca e só sobrevive neste mercado, quem está se preparando para inovar, ou já inovou neste ano de 2020.

Outros Posts

Não ter automação comercial significa perder dinheiro?

Não investir no controle de caixa é um dos motivos pelo qual uma empresa pode perder dinheiro. Todo empreendedor precisa saber quais são as entradas e saídas e quanto ele possui em reserva para emergências. As informações obtidas por meio de um controle de caixa são...

Você sabe como surgiu a automação comercial?

A automação industrial começou a ganhar destaque na sociedade por volta da segunda metade do século XVIII, na Inglaterra. Foi nessa época que os sistemas de produção artesanal e agrário começaram a se transformar em industrial e foram desenvolvidos os primeiros dispositivos simples e semiautomáticos

Automação comercial é coisa só de empresa grande?

Tenho uma pequena empresa e preciso melhorar meus fluxos. Posso ter automação comercial? Com a automação de processos, funcionários e donos de empresas conseguem simplificar etapas, processos e práticas diárias nos negócios. Os resultados não demoram a aparecer: mais...